Marcia Kohatsu | Nascer em Foco - 1

Um grupo de médicos com a mesma visão e técnicas de trabalho acaba de se unir, em Curitiba, para aprimorar o atendimento às gestantes que optam pelo parto humanizado. Formado pelos obstetras Carlos Miner Navarro, Juliana Chalupe Amado, Alvaro Silveira Neto e Camile Motta, o Grupo Nascer chega para garantir que todas as gestantes passem pela experiência do parto de forma positiva, proporcionando a segurança, a tranquilidade e o profissionalismo que o momento exige.

“Para nós, as decisões da mulher são extremamente importantes e levadas a sério. Nós acompanhamos de perto a saúde física e emocional da mãe e do bebê, mas, ao mesmo tempo, deixamos a natureza agir. Realizamos o mínimo de intervenções médicas possíveis e apenas as que forem autorizadas pela gestante”, explica a Dra Juliana Chalupe Amado.

Segundo a Organização Mundial da Saúde, “humanizar o parto envolve um conjunto de condutas e procedimentos que promovem o parto e o nascimento saudáveis, pois respeita o processo natural e evita condutas desnecessárias ou de risco para a mãe e para o bebê”. Os médicos do Grupo Nascer seguem as recomendações e as diretrizes da OMS e do Ministério da Saúde, entre elas:

Avaliação do risco gestacional durante o pré-natal;

Monitoramento do bem-estar físico e emocional da mulher durante trabalho e parto e ao término do processo de nascimento;

Respeito à escolha da mãe sobre o local do parto, após ter recebido informações;

Respeito à escolha da mulher sobre seus acompanhantes durante o trabalho de parto e parto;

Fornecimento às mulheres sobre todas as informações e explicações que desejarem;

Métodos não invasivos e não farmacológicos de alívio da dor, como massagem e técnicas de relaxamento, durante o trabalho de parto;

Monitoramento fetal por meio de ausculta intermitente;

Liberdade de posição e movimento durante o trabalho de parto;

Monitoramento cuidadoso do progresso do parto, por exemplo por meio do uso do partograma da OMS;

Contato cutâneo direto precoce entre mãe e filho e apoio ao início da amamentação na primeira hora após o parto, sempre prevenindo a hipotermia do bebê.

 

O trabalho

As gestantes atendidas pelos médicos do Grupo Nascer passam a ter os outros três profissionais à disposição em caso de emergência. “Nossas pacientes nunca estarão desamparadas. Caso um de nós esteja em outro parto, ou em viagem, por exemplo, outro médico do grupo, com a mesma premissa do parto humanizado, estará de sobre aviso para o atendimento imediato da paciente”, diz o Dr Carlos Miner Navarro.

No trabalho, o grupo também procura mostrar os benefícios do parto, que não são poucos. O parto vaginal apresenta menos riscos de complicações para a criança e para a mãe, como as infecções e os problemas respiratórios no bebê. Até as chances de morte do recém-nascido são menores.

 

Atenção pré e pós parto

O Grupo Nascer também tem o objetivo de orientar a gestante em todos os aspectos, do pré-Natal ao pós parto. Para isso, é recomendado o acompanhamento da Doula e de enfermeiras especializadas em amamentação. Para o Grupo, o suporte físico e emocional proporcionado pela Doula transmite segurança, tranquilidade e força, encorajando a mulher em todas as fases da gestação e do trabalho de parto. Estudos da Organização Mundial da Saúde (OMS) comprovam que a presença da Doula ajuda a diminuir em 50% os índices de cesáreas e 25% a duração do trabalho de parto.

 

O parto no Brasil

Segundo dados divulgados pelo Ministério da Saúde, em março de 2017, pela primeira vez desde 2010, o número de cesarianas caiu no Brasil. Dos 3 milhões de partos, 55,5% foram cesáreas e 44,5% normais em 2015, dado mais atualizado do ministério. Em 2014, a relação era de 57,07% para 42,93%. 

 

logo-nascer

 

Mais informações sobre o Grupo Nascer:

 www.gruponascercuritiba.com.br
 www.facebook.com/gruponascercuritiba

Contato para a imprensa: Marina Belomo | marinabelomo@casaconteudo.com

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *