Marcia Kohatsu | Nascer em Foco - 12
Por Marina Belomo para Grupo Nascer

 

A escolha do tipo de parto pode ser uma das decisões mais difíceis na vida de uma mulher. Algumas gestantes já iniciam a gravidez com uma ideia fixa de como será o nascimento de seu filho. Outras demoram um pouco mais para pensar sobre o assunto. Mas, para todas, existe algo que não pode faltar: informação. É preciso estar bem informada sobre todos os detalhes que envolvem o parto para que a melhor decisão seja tomada.

Quando se fala em parto normal, natural ou humanizado, existem muitas dúvidas com relação a essas nomenclaturas. Mas, então, qual a grande diferença entre todas elas?

 

Parto normal

Parto normal é o tradicional parto vaginal. Nesta opção, é possível usar analgesia, a anestesia peridural que alivia a dor durante o trabalho de parto, inclusive no período expulsivo. Algumas mulheres também fazem uso da ocitocina, hormônio capaz de acelerar as contrações, aumentando a o ritmo de dilatação do colo do útero e diminuindo o tempo do trabalho de parto.

 

Parto natural

A grande diferença entre parto normal e parto natural é que esse último ocorre sem qualquer intervenção médica, como a aplicação de anestesia, analgésicos ou medicamentos próprios para intensificar as contrações. Durante o parto natural, a mulher tem total controle sobre seu corpo e participa ativamente do nascimento do bebê. A sensação de autonomia e lucidez é uma das grandes vantagens deste tipo de parto, em que a gestante tem mais liberdade para se movimentar e para encontrar a melhor posição para a hora do nascimento.

 

Parto humanizado

É aquele em que o protagonismo é inteiramente da mulher. É ela que toma a maior parte das decisões sobre o que vai acontecer durante o parto. E, isso, envolve alguns aspectos:

 

1. A mulher no centro das decisões

Cabe ao médico obstetra escolhido fornecer todas as informações necessárias para que a mulher decida sobre os detalhes do próprio parto. As decisões envolvem, por exemplo, o uso ou não da analgesia, o local do parto – se é na água, no quarto, na sala de parto ou no centro cirúrgico – e o nome do acompanhante (por lei, a mulher tem direito a um acompanhante durante todo o trabalho de parto, parto e pós-parto).

 

2. Plano de parto

Uma vez que a mulher decide sobre como quer que o seu parto seja, o ideal é que ela desenvolva um plano de parto contendo cada passo desejado, desde a internação até a alta. O plano de parto pode ser uma carta ao médico ou uma lista contendo todas as preferências relacionadas ao dia do nascimento, por exemplo: 

  • Em que maternidade você quer ter o bebê?
  •         Você gostaria de ficar lá com um acompanhante? Quem? Qual o contato?
  •         Gostaria de ter uma doula? Qual o contato?
  •         Deseja receber lavagem intestinal, raspagem dos pelos, soro com hormônio para acelerar as contrações e anestesia?
  •         Quais procedimentos você aceita e quais preferia evitar?

 

3. Ambiente favorável

Atualmente, muitas maternidades, como é o caso da Maternidade Curitiba, já oferecem ambientes preparados para a mulher que opta pelo parto humanizado. Em suítes apropriadas, a gestante pode contar com iluminação reduzida, ter acesso à água quente em chuveiros ou banheiras, além usufruir de estrutura para movimentação, para que o parto aconteça na posição em que ela se sentir mais confortável. Em algumas maternidades há, inclusive, cadeiras apropriadas que permitem que o parto seja de cócoras ou na vertical. Todos esses detalhes fazem muita diferença para a evolução do trabalho de parto e para uma experiência positiva do momento do nascimento.

 

E então, você já conversou com seu médico sobre os tipos de parto?

 

logo-nascer

 

 

 

 

2 thoughts on “Parto normal, natural e humanizado. Você conhece as diferenças?”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *