parto normal Joice Magalhães Ruthes

Parto normal? Nem pensar!

Eu sempre fui dessas pessoas que sempre quis cesárea. Falava pra todo mundo que quando eu engravidasse, já começaria a pagar a minha cesariana e ainda marcaria duas semanas antes para não correr risco de entrar em trabalho de parto. Eu tinha muito medo da dor. Tinha medo só de pensar no parto normal.

Estávamos decididos que era hora de aumentar a família e, então, como eu queria engravidar, comecei a assistir a vários programas sobre parto. Passei a pesquisar, a ler muito sobre o tema e, assim, comecei a perder o medo.

Mais informada sobre o assunto entendi que era importante esperar a hora do meu bebê. Decidi: “vou tentar um parto normal”. Informação é tudo nessa hora. Informação e acolhimento. Foi isso que me fez mudar de ideia.

Como encontrar um obstetra humanizado?

Marquei consulta com quase todos de uma lista que eu tinha. Acabei optando pelo Dr. Álvaro Silveira Neto. Nossos planos era que o bebê nascesse somente em 2016, mas como a gente não manda nessa área da natureza, não foi bem assim.  Parei de tomar anticoncepcional em janeiro (tomava há uns 14 anos), cuidamos em fevereiro, em março eu pensei que não era mais necessário cuidar pois a maioria das pessoas demora muito para regularizar e voltar a ovular. Quando vi, em abril já estava grávida!

Um bebê para o Natal

Não bastasse eu ter engravidado super-rápido, minha DPP era para 24 de dezembro. Que obstetra estaria disposto atender um parto normal no Natal? Que data difícil! Dr. Álvaro mesmo já estava com viagem marcada para 22 de dezembro. Então, minha torcida era para que nascesse até essa data! De qualquer forma, eu estava disposta a esperar a hora que meu bebê quisesse nascer. Conversei com o Dr. Álvaro. Ele disse que, se fosse para eu ficar mais segura e tranquila, eu poderia seguir com outro obstetra, também humanizado.

E foi assim que conheci a Dra. Camile Motta

Com 27 semanas de gestação passei a ser atendida pela Dra. Camile. Ela sempre me atendeu muito bem. Sempre foi querida, atenciosa, sempre me ajudou a encontrar a paz diante dos meus anseios e medos.

Dia 16 de dezembro, com 39 semanas, fui a uma consulta com a Camile. “Você está com 2 centímetros de dilatação”, disse ela. Porém, não havia outros indícios de que a minha mocinha viria logo.

Definitivamente, não mandamos na natureza!

Como eu já disse, não mandamos mesmo na natureza. Na madrugada de 17 de dezembro acordo às 3h30 com uma dor diferente, uma cólica, vontade de ir ao banheiro. Foi bem no dia em que o Whatsapp havia sido suspenso, então esperei dar 7h para ligar para minha doula, Tamara. Ela iria dar aula de pilates para mim em minha casa neste dia. Pediu para que eu fosse monitorando as contrações e a deixando sempre informada. Tamara já estava a caminho.

Avisamos a Camile. Pedi para ficar em casa enquanto a dor estava controlada.

Por volta das 16h fui para a maternidade para Camile me avaliar. Estava com 4 para 5 centímetros de dilatação. Dra. Camile disse que provavelmente a Laura só chegaria na madrugada seguinte.

Não quero ficar internada

Minha bolsa estava íntegra. Meu exame GBS era negativo. Pedi para não ficar internada se não estivesse com trabalho de parto avançado. Por isso, Dra. Camile me liberou para voltar para casa e pediu para eu tentar descansar, afinal eu não havia dormido desde as 3h da manhã.

Fui para casa, deitei por uns 40 minutos e quando acordei a dor estava muito mais forte, meu tampão saiu. Fui para o banho, nada aliviava. Pedi para voltar para a maternidade, queria analgesia, estava desesperada. Fomos para a maternidade por volta das 21h. Quando cheguei, passei pela médica de plantão e ela mandou ir direto para o centro obstétrico. Estava com 10cm de dilatação. Ligamos para a Camile e para o pediatra. Pedi analgesia para o expulsivo. Eles falaram que tinham que esperar a minha médica chegar. Perdi a noção de tempo, mas logo ela chegou e depois da analgesia foi só tranquilidade. Camile monitorava os batimentos a cada contração. Me deixou calma. Estava tudo bem.

Seja bem-vinda, Laura!

Às 23h54, na noite de 17 de dezembro, Laura chegou, pesando 3,525kg e medindo 49cm. Linda, forte, veio para meus braços, mamou na primeira hora. O pediatra e a Camile aguardaram o cordão parar de pulsar, minha doula levou a placenta para impressão. Meu plano de parto foi muito respeitado. Só tenho a agradecer por essa equipe maravilhosa em minha vida. Se eu tiver outro filho escolho sem sombra de dúvidas essa equipe nota 10!

 

Relato de Joice Magalhães Ruthes, paciente do Dr. Álvaro Silveira Neto e da Dra. Camile Motta.

Grupo Nascer

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *