“Intenso, rápido, envolvente, emocionante”

Confira o relato de parto de Daniela Nóbile Thiesen, paciente do Dr. Carlos Miner Navarro, do Grupo Nascer.

Nunca me imaginei contando a respeito do parto da Gabriela. Lia tantos relatos no Grupo Nascer, mas achava que não iria querer me expor. Mas, se eu puder ajudar uma gravida a perceber que ela consegue parir, que Deus nos fez para isso, que é natural, isso já alegrará o meu coração.

No dia 03/05/2018, com 40 semanas e 1 dia de gestação, acordei às 5:55 com a primeira contração. Naquele momento eu sabia que a Gabriela estava chegando. Só não sabia que seria tão especial e único.

Esperei uns 15 minutos e mandei mensagem para a doula, Patricia Bortolotto. Ela pediu para ir acompanhando e avisando se algo mudasse. Como moramos afastado da cidade, acordei meu marido e pedi para irmos à casa da minha sogra, que fica no centro de Curitiba, fácil de chegar até a Maternidade Curitiba. Algo lá no fundo sempre me falava que seria rápido.

Chegamos na minha sogra às 8h, tomei café calmamente. Às 9h, as contrações vinham a cada 20 minutos e duravam de 20 a 30 segundos. Eram tão rápidas que não doíam tanto. Esse ritmo permaneceu até meio-dia. O intervalo entre as contrações baixou para 4-6 minutos e a duração delas aumentou para 45-50 segundos. A doula estava me acompanhando o tempo todo por whattsapp, pois eu estava tão tranquila que disse que ela nem precisava ir me encontrar, pois achava que demoraria bastante ainda. Ela me perguntou se a bebê estava mexendo normalmente. Eu não estava prestando muita atenção nisso, então fiquei na dúvida se ela se mexia. O almoço ficou pronto e, como a fome era grande, resolvi almoçar (de pé mesmo, já que sentada piorava as contrações). A comida estava tão boa que quase repeti o prato, mas achei melhor não, pensei “vai que entro em trabalho de parto ativo”!

Assim que terminei de almoçar liguei para Paty, a doula, às 12h30. Resolvemos ir para o Hospital checar como a Gabi estava. Como o Dr. Carlos já estava no consultório, a Paty me perguntou se eu já iria pra lá, pensei e disse que iria só as 13h. Meu marido, que estava me acompanhando o tempo todo, precisava finalizar uma compra e aproveitou essa meia hora. Ele saiu e disse que me encontraria às 13h para irmos à maternidade.

Chegamos na maternidade e as contrações aumentaram. Durante todas as consultas de pré-natal com o Dr. Carlos, nunca peguei fila para entrar na maternidade, justamente naquele dia havia 4 mulheres na minha frente fazendo cadastro de visitante. Meu marido me olhando ter as contrações menos espaçadas, me perguntou se eu não queria avisar que estava em trabalho de parto para entrar logo. Eu, que estava calma, disse que não precisava e que esperava todas entrarem antes.

A correria!

Ainda esperamos por uns 5 minutos o Dr. Carlos terminar um atendimento. Ao entrar na sala dele, tudo apurou!!! Sentia uma contração seguida da outra. O Dr. Carlos fez o toque, e surpresa: 9 cm de dilatação!!! O desespero bateu!!! Avisei a Paty, para que viesse rápido, não sabia o que fazer. Meu marido correu para preencher a papelada da internação. Fui para a sala de triagem da maternidade e as enfermeiras queriam que eu sentasse, queriam me examinar.

Eu só conseguia ficar em pé, andando e falando que já estava com 9 cm, e que o meu médico, Dr. Carlos, já tinha me examinado. Cinco minutos depois fomos para a suíte e as contrações aumentavam, e a Paty comigo no whats me acalmando enquanto chegava.

Analgesia ou não?

Meu marido chegou no quarto e uma enfermeira perguntou se eu queria analgesia. Eu disse que sim e ela saiu para agilizar isso. Mas a Paty chegou e, com a calma dela, me falou que não precisava da analgesia. Meu marido começou a me estimular também, falando que eu aguentava. As contrações vinham e eu dizia que queria (e, ao mesmo tempo queria matá-los por falar que não precisava). Mas, assim que a contração passava, eu ria e falava que aguentava mais uma daquela.

Dr. Carlos chegou no quarto 15 minutos depois, me examinou novamente e já estava com 10 cm de dilatação. Precisávamos correr para o centro cirúrgico. Assim que comecei a andar, a bolsa amniotica desceu mas não estourou, ficou intacta. As contrações eram tão frequentes que tive que subir de cadeira de rodas para o centro cirúrgico. Chegando lá, o Dr. Carlos tirou a bolsa, que saiu inteira (é algo raro, que a Paty não tinha visto ainda, fizemos uma “pausa” para olhar a bolsa e fotografar! hehehehe).

Entre as contrações, ríamos e conversávamos normalmente, eu até esquecia o que estava acontecendo e rapidamente a dor começou a diminuir, só sentia vontade de fazer força, muita força. Mas me assustei, pois sempre ouvi falar de mulheres que evacuam na hora do parto, e não queria passar por isso (a força era assim, e eu achava que estava errado).

A Paty, lendo meus pensamentos, falou baixinho pra mim: ” é assim mesmo, parece que você quer fazer cocô, faz força”, daí que eu entendi como que era a força e como eu podia ajudar naquele momento.

Às 14:46 o Dr. Carlos pediu para que eu puxasse a minha filha para os meus braços.

Foi tão intenso, rápido, envolvente, emocionante, que não tem como explicar tudo o que senti na hora, e como me sinto só de lembrar daquele momento. Meu marido cortou o cordão umbilical, e pudemos curtir juntos o momento com a nossa pequena.

A Gabriela nasceu super saudável, pesando 3,080 Kg e medindo 49 cm. Mamou já nos primeiros minutos de vida e ficamos juntas desde então.

Minutos após o parto, eu já estava ótima, recuperada, me sentindo pronta para cuidar da minha bebê. Não precisei de ajuda nem para levantar da maca assim que voltei ao quarto. Meu corpo e minha cabeça estavam 100% focados na minha pequena; não havia dor, nem cortes para me preocupar… só ela!

Parto natural é de Deus!

Posso dizer que o parto natural é o que Deus planejou para nós, pois estamos prontas para nossos filhos na mesma hora. Não precisamos nos recuperar, o parto é magico e nosso corpo está preparado para isso!!!

Agradeço a Deus por ter me permitido vivenciar essa experiência única e maravilhosa de forma tão intensa e mágica!!! Agradeço ao meu marido pelo apoio em todos os momentos, não conseguiria sem ele ao meu lado. Agradeço ao Dr. Carlos, sua calma, sabedoria, conhecimento, experiência nos faz conseguir, nos dão calma para curtir e fazer aquilo para o qual Deus nos fez.

Patrícia, você tem o dom, poucas palavras já bastam para nos direcionar. Uma única palavra tua já nos fortalece.

Procure pessoas que te ajudem a conseguir um parto como Deus planejou! Sem essas 4 pessoas não teria vivido algo tão maravilhoso!

Grupo Nascer

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *