relato de parto pamela deneka

Relato de parto de Pamela Deneka – O nascimento da Victoria

Texto enviado por Pamela Deneka, paciente do Dr Alvaro Silveira Neto, do Grupo Nascer de Curitiba/PR.

“Não sei o quanto sou capaz de me expressar em palavras mas vou arriscar, não para mostrar ou provar algo para quem quer que seja, mas para me recordar e aprender a lidar com essa explosão de sentimentos.

Só de começar a escrever eu já me emociono, me arrepia lembrar de tudo.
Meu maior medo desde o começo era a dor; que tipo de dor era essa? O que ia doer? Como iria doer? Será que é tanto assim? Bom, dói. Mas não se prenda a dor, ela é um obstáculo muito pequeno na jornada do trabalho de parto se levar em consideração todo o ganho que você terá. Em relação à dor o que posso dizer é o seguinte: quando eu saí da sala de parto falei que jamais faria isso de novo, que só teria uma filha ou que o próximo filho
certamente marcaria uma cesária. Chegando no quarto o Dr. Álvaro falou que em 3 dias eu ja iria querer fazer tudo igual novamente, eu pensei: “Capaz!!!!”. E não é que ele tinha razão?!?! Como é possível?! E o pior, não demorei nem 3 dias para pensar isso, no dia seguinte essa decisão já estava muito clara na minha cabeça: faço tudo exatamente igual da
próxima vez… e da próxima… e da próxima.

Para mim o parto é algo com um valor inestimável para a mulher; aqui me refiro ao parto normal. Sim, para mim desde o começo da gestação não tinha qualquer dúvida de que era isso que eu queria. Cada um de nós tem uma opinião a respeito de parto normal x cesária, e tudo bem, aqui só vou deixar minha opinião mas sem tentar enfiar goela abaixo de ninguém. Também quero lembrar que eu estou escrevendo aqui apenas com o embasamento do coração sem livros ou estudos, mas ao meu ver o corpo da mulher é preparado para o parto, e muito bem preparado.

Nosso corpo é muito inteligente, se formos atrás de como funciona toda a gestação até a entrada do trabalho de parto e depois a amamentação é de arrepiar do que nosso corpo é capaz. Posso ficar dias escrevendo aqui e não conseguir passar toda a emoção que senti e que ainda sinto ao lembrar. Sinto saudades do meu obstetra, juro que choro de saudades.

Sinto saudades da minha doula, de aprender e entender o processo que meu corpo estava passando durante a gestação e trabalho de parto. Sinto saudades de sentir meu bebê dentro de mim. E pode parecer loucura mas queria sentir e passar novamente por todo meu trabalho de parto e nascimento da Victoria.

Me sentir trazendo a Victoria ao mundo foi a sensação mais inexplicável do mundo. A hora em que ultrapassei meus limites e me descobri muito mais forte do que imaginei que eu fosse. Foram 7 horas de trabalho de parto desde que cheguei na maternidade, e digo que foram 7 horas (além das horas em casa) que valem muito a pena serem vividas por qualquer
mulher que sonhe em ser mãe.

Eu não quero esquecer esse sentimento nunca, talvez esteja até escrevendo para deixar essa memória viva e fresca em minha cabeça. A vida ganha outro sentido, minha auto estima nunca esteve melhor, nunca acreditei tanto em mim mesma. Me sinto totalmente capaz de tudo o que vem pela frente, me sinto orgulhosa, confiante. Sei que a rotina inteira da mulher/casal/família muda mas isso vale para tudo na vida, a mudança:
“nothing ever stays the same”.

Como mulher eu acredito que o parto é uma jornada que deve ser aproveitada por todas as mulheres; sim, aproveitada, curtida. Essa jornada é capaz de nos transformar, basta acreditar. Algo muito importante que preciso dizer para encerrar (temporariamente) o assunto é que em nenhum momento me senti sozinha e isso faz toda a diferença. Além de
uma família muito presente tive profissionais que acreditam realmente em seu trabalho e amam o que fazem, porque me fizeram sentir preparada para esse momento.

Dr. Álvaro: Sim, sinto muito a sua falta. Consulta só depois de 30/40 dias???? É muito tempo!! Nos víamos toda semana no final da gestação. Mas que bom, sinal de que eu estou bem, de que meu parto foi como era para ser e foi muito bem conduzido por você. Desde a primeira consulta com você eu e meu marido nos apaixonamos por você. Não poderia ser outra pessoa para trazer nosso maior tesouro ao mundo. Sou muito grata por toda a atenção
e respeito que teve conosco. A confiança que sinto em você certamente fez a diferença para eu conseguir realizar o parto da forma que eu sempre quis. Obrigada. Você é um exemplo de profissional. Te admiramos e não vemos a hora do próximo.

Katya Kur: minha doula querida. Obrigada por toda a paciência desde o nosso primeiro encontro quando nem barriga eu tinha direito e nem sabia o que era uma doula. Que bom que você esteve ao meu lado para me acalmar, me ensinar e me fazer entender cada mudança que acontecia e aconteceria com meu corpo. Tive uma gestação maravilhosa, tranquila,
saudável e com certeza você fez parte disso. Obrigada de todo meu coração.

Luiz Guilherme Deneka: Meu companheiro de vida. Não existe pessoa no mundo que pudesse me acompanhar nessa loucura senão você. Você me entende, você me acalma, você é meu melhor amigo. Somos uma família e também somos um casal; um casal com uma parceria sem igual, um casal que só a gente sabe, isso basta. Te amo e só você sabe o quanto.

Victoria Deneka: meu anjinho. Você veio para me mostrar um novo significado da vida. Você sempre foi um sonho, meu sonho de iniciar uma família, de ser MÃE. Agradeço por você finalmente ter chego e realizado esse sonho. A cada dia que eu acordo e te vejo ao meu lado
sinto que estou realizando meu sonho. Eu te amo para sempre.

Amanda Nunes: Era para ser nossa fotógrafa, mas foi muito mais que isso. Não basta estar na sala de parto apenas para tirar as fotos, tem que entender o momento, as necessidades da mãe e do bebê; registrar tudo da maneira mais bela mas sem ser invasiva. Obrigada por registrar
em fotos o que eu tento registrar em palavras, simples assim.

Grupo Nascer: Não cheguei a conhecer todos os profissionais que fazem parte do grupo, mas tenho certeza que se estão juntos vocês possuem os mesmo ideais e uma forma de trabalho muito parecida, claro que cada um com suas peculiaridades. Parabéns pela iniciativa de quererem que mais mulheres sintam essa emoção ao trazer seus filhos ao mundo, não existe
nada mais belo e poderoso que isso”.

Fotógrafa: Amanda Nunes | Nascer em Foco
Grupo Nascer

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *