Elaine Moraes

“Ter paciência e conseguir…” – relato de parto de Elaine Moraes

Relato de parto de Elaine Moraes, paciente da dra Camile Motta, do Grupo Nascer

Era madrugada do dia 25 de abril de 2019, quando acordei várias vezes sentindo dores na região lombar…imaginei que era apenas dor nas costas devido ao barrigão de 40 semanas, ainda não tinha em mente que você, Pedro, poderia estar chegando…

Ao amanhecer, fomos na consulta com a Dra Camile, e foi aí que tivemos a surpresa de saber que estava com 3 cm de dilatação! As contrações irradiavam das costas, porém suportáveis, com isso voltamos para casa imaginando que seria um dia normal. Fiquei em casa e meu marido foi trabalhar… meus pais são vizinhos e minha irmã com meu cunhado, que moram fora, estavam aqui para esperar o nascimento do Pedro. Então qualquer coisa era só chamar os vizinhos! …(kkkk)

A ansiedade em saber como seria o meu trabalho de parto e o parto em si era grande…pois esperamos por esse momento junto da nossa querida doula Katya que nos passou importantes informações sobre Parto normal além das massagens e alívios que poderíamos usar no grande dia…e, aquele era o dia! Liguei para o Caio, era umas 15h,  e falei para ele vir para casa, pois as contrações estavam a cada 5 minutos com duração mais ou menos de 40 segundos, a ponto de deitar na cama na posição de 4 apoios para aliviar.

Quando Caio chegou,  sugeriu a banheira para dar uma aliviada, eu pensei…”que excelente ideia!!” Então entrei na banheira, ficamos conversando por um bom tempo ali, as dores passaram, não sentia mais nada, e, por um momento, eu pensei que talvez aquele ainda não fosse o dia.

Quando saí da banheira, não deu outra, as contrações voltaram com uma intensidade maior e resolvemos ir para a maternidade. Eram 18h quando fui atendida pelo plantonista e foi aí que o desespero me tomou conta! Eu estava com 4cm de dilatação! Ou seja, desde de manhã até aquele horário eu tinha evoluído somente 1cm!! E as dores estavam começando a me irritar e a ficar desconfortável a ponto de ter que parar onde estivesse para poder aguentar a contração.

Não deu outra, voltamos para casa e eu me desandei a chorar.. eu pensava que o Pedro poderia nascer a qualquer hora..ali em casa mesmo! Mal sabia que aquelas contrações iriam aumentar cada vez mais…”Poderia piorar mais do que isso?” Eu pensava…

A noite resolvemos assistir “Friends”, aquele episódio em que Rachel está em trabalho de parto, assim dávamos umas risadas em meio as contrações e massagens. De acordo com a Katya eu ainda estava bem, pois conseguia prestar atenção no seriado, enfim, estava racional…(kkkk)

Às 23h não aguentava mais, então voltamos para a maternidade e disse que ninguém me mandaria embora novamente…avisei a Katya e a Dra Camile. Fui internada meia noite e meia, pelo horário já era dia 26, com 5-6cm de dilatação e Bolsa íntegra. Acompanhavam-me, Caio, Katya e minha mãe Angela que me deu aquele conforto de mãe. 1h30 sento na bola suíça e conto como foi o meu dia para a Katya (sorrindo e pausando para as contrações). Dra Camile a cada momento vem monitorar o batimento cardíaco do Pedro, ao mesmo tempo que recebo massagem nas costas tanto do Caio como da Katya, que vão se revezando para me passar uma sensação de alívio e conforto.

Às 2h20 as contrações estavam bem ritmadas a cada 2 minutos…estava com 7cm de dilatação e o bebê encaixado! Fui então para o chuveiro e lá fiquei um bom tempo, nem sei quanto tempo se passou, pois não queria mais falar, nada aliviava as dores, não aguentava mais…pedi por analgesia, porém eu sabia, lá  no fundo da minha mente, que isso poderia atrasar todo o parto até mesmo não conseguir mais sentir as contrações para o nascimento do Pedro. Nesta hora, Dra Camile vem avaliar e estou com 9cm de dilatação, sendo assim para não dar analgesia com quase dilatação total ela sugere irmos para o centro obstétrico. Então às 4h Caio e Katya me acompanharam até lá…neste ponto não conseguia mais andar, então fui de cadeiras de rodas e me recordo até hoje, tive que parar no meio do corredor para esperar passar a contração!

Às 4h40 como o batimento do Pedro estava um pouco acelerado, Dra Camile rompe a bolsa para ver a coloração do líquido, o qual estava clarinho e com grumos. Às 4h43, os puxos estão mais fortes e depois de umas forças na banqueta de parto eu fico em pé e me agarro no Caio para me agachar de cócoras com as contrações…Às 4h58 Katya sugere que eu fique de 4 apoios para descansar um pouco as pernas…e foi aí que na terceira força, nesta posição, que nunca imaginei ter o meu filho, que Pedro nasceu às 5h09 olhando para o Caio e indo direto para o meu colo! Foi realmente um dia inesquecível…

Grupo Nascer

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *