relato de parto de noelle daros

“Depois do parto nós nos transformamos, renascemos”, relato de parto de Noelle Daros

Dia 14 de janeiro de 2020, com 39 semanas foi o dia que a Sofia escolheu para nascer.

Bom, antes de começar a relatar, vou falar que tive vontade, nessa segunda gravidez, de ter um parto humanizado e respeitoso, pois meu primeiro filho foi cesárea, e gostaria de ter a experiência do parto, por mais dolorido que fosse. Como minha irmã fez o parto com o Dr. Álvaro, do Grupo Nascer, fui por indicação dela, e também por ter me inspirado no seu relato de parto.

Então fiz a minha primeira consulta com o Dr. Álvaro, achei um médico atencioso, calmo e que passou muita segurança. Decidi que ele acompanharia toda a gestação e o parto. Ele me falou da importância da doula, e fui procurar a Tatiana (@maeconsciente_), que também foi doula da minha irmã.

Contatei ela e fui conhecê-la, a Tati me passou confiança e muita tranquilidade. E vamos para o relato.

Acordei às 3h30 com cólica. Não conseguia ficar deitada e fui para sala. As cólicas vinham e passavam, depois começavam de novo com intervalos. Fiquei parada, olhando na janela, só sentindo e observando meu corpo. Pensei: minha filha está querendo nascer.

Lá pelas 5h30 da manhã resolvi deitar, estava com sono e queria tentar cochilar. Nada, não consegui. As cólicas estavam mais fortes e às 8h avisei o Dr. Álvaro. Ele pediu que eu fosse para o seu consultório às 14h. Ainda bem que o consultório fica cinco minutos de casa! Fiquei em casa com meu esposo e meu filho. Meu esposo ficou trabalhando de casa e cronometrando minhas contrações. E eu andando, recolhendo roupa e fazendo as coisas da casa.

A cada contratação eu parava e me apoiava em uma cadeira, já eram mais fortes e dolorosas, avisei a Tati que me orientou e me acalmou, e ficamos mantendo contato. Avisei minha mãe para vir buscar meu filho, pois queria ficar sozinha,  me conectando e me concentrando em cada contração. Nem almocei de tão doloridas que eram.

Chegou a hora de ir à consulta e a cada contração eu parava, pois estava muito forte. Quando fui ao banheiro, senti que saiu o tampão mucoso, Dr. Álvaro me examinou estava com 3 cm de dilatação. Pensei comigo. Nossa! Que horas minha filha vai nascer!? Sabia que iria demorar… Vim para casa, tomei banho para ver se aliviava as dores, avisei minha mãe para vir ficar comigo. Avisei a Tati para estar no hospital umas 17 horas e ficamos nos comunicando. As contrações eram cada vez mais fortes e dolorosas, não conseguia sentar, só ficava andando. Umas 16 horas fomos para o Hospital, eu não aguentava mais, era muita dor! No carro, fui no banco de trás, que desconfortável ficar sentada! Ficava de lado, não tinha posição. Tive umas três contrações bem fortes, eu verbalizava de tanta dor, não via hora de chegar ao Hospital.

Chegando lá, meu esposo foi fazer o internamento, já em seguida a Tati chegou. Fui com ela fazer o toque com o Dr. Carlos, e a surpresa !! Estava com 9cm de dilatação e bolsa íntegra. Dr. Carlos na hora já ligou para o Dr. Álvaro pedindo que viesse logo. Pensei!! Que rápido, pois às 14h estava com 3 cm e as 17h com 9 cm. Eu sabia que minha filha iria nascer em breve. Fui então tomar antibiótico pois tinha o GBS positivo. Quando terminou fui para o centro obstétrico, acompanhada do meu esposo, mãe e a doula.

Quando caminhava para ir até o centro obstétrico, vinham contrações fortes e eu parava e esperava passar.  A Tati colocava a mão na minha barriga para aliviar a pressão e a dor. Chegando na porta do centro obstétrico, dei um abraço na minha mãe, e falei que iria conseguir. Ela me abraçou e falou: Você vai conseguir filha! Estou aqui esperando!

A Tati e meu esposo foram para o quarto trocar de roupa. Eu segui com uma enfermeira, fiquei sozinha por uns minutos, e com muita dor. Logo minha bolsa estourou, fez um barulho parecia uma bexiga com água estourando, dei um grito. Nisso, chegaram Dr. Álvaro, meu esposo e a Tati. Aí que eu vi o que era dor….Meu Deus…nas próximas contrações eu verbalizava muito. Sentia a necessidade de gritar e fazer força, muita força, era algo descontrolável.

Dr. Álvaro me ofereceu a banqueta, mas não conseguia ficar sentada, aí subi na maca, fiquei de cócoras em cima da maca e nada. Consegui ficar deitada com o apoio da Tati e do meu esposo que me seguraram. A Tati me abanava e molhava minha boca. E o Dr. Álvaro falando para eu inspirar e na hora de expirar fazer força. Que coisa louca!!!

Em nenhum  momento pedi analgesia, acho que até esqueci, estava em outra dimensão. Meu esposo falava que iria conseguir, e que logo Sofia nasceria. Na segunda contração, coloquei minha mão e senti a cabeça da Sofia e, na terceira, muita força, uma queimação, e Sofia veio às 18:50h toda escorregadia em cima de mim. Falei: Mamãe conseguiu filha!! Mamãe foi guerreira!! Fiquei ali emocionada só sentindo aquele momento mágico.

Papai cortou o cordão umbilical todo emocionado. Sofia não mamou no primeiro momento. Só sei que o Dr. Álvaro me falou que tive uma laceração extensa e que precisava fazer uma cirurgia reparadora, e que iria chamar outra médica, pois a cirurgia não era da área dele. Aí fiquei um pouco preocupada. Eu na minha tranquilidade falei: Tudo bem! Em seguida já levaram a Sofia.

Meu marido e a Tati saíram da sala, e eu fui para cirurgia. Fiquei um tempo esperando até o Dr. Álvaro entrar em contato com a médica proctologista. Quando chegaram, já estava anestesiada, ficava ressonando, e pensando na minha filha. Só rezava e pedia para que acabasse logo. Só sei que demorou, e ainda fiquei um tempo até sair da anestesia.

Dr. Álvaro e a médica demoraram para vir falar comigo. Quando chegaram eu só queria ver minha filha, pegar no colo e amamentar. Dr. Álvaro me falou que tive uma laceração grave e que iria sentir muita dor e que precisava me cuidar e tomar antibióticos  para melhorar. E falei: Eu vou ficar bem!!

Parece que depois do parto nós nos transformamos, renascemos e qualquer dor é leve, diante da força e da intensidade de parir. Logo fui para o quarto encontrar meu esposo, mãe e a Tati. Todos estavam preocupados, me esperando, isso já era 11 da noite. Nossa, fiquei tanto tempo no centro obstétrico, não via a hora de chegar ao quarto.  E, então, logo veio a Sofia, mamou super bem, tadinha… ficou tanto tempo sem a mamãe e sem o mamá! Senti por isso, por não poder ter ficado com ela depois do parto. Isso foi o mais triste para mim, imagina para minha filha, que tinha acabado de nascer. Em seguida veio o Dr. Álvaro falar como foi a cirurgia e todos os cuidados que eu devia ter no meu pós parto. Mas Graças a Deus fiquei bem, minha recuperação foi ótima e rápida em relação a extensão da laceração. Dr.Álvaro foi muito atencioso, me ligava, mandava mensagem, para ver como estava.

Agradeço imensamente a ele pelo apoio e todo cuidado no meu pós parto, e a todo Grupo Nascer, por esse trabalho maravilhoso que é o de trazer vidas, respeitando todas as nossas vontades. Agradeço também ao meu marido que sempre me apoiou desde o início a ter um parto natural.

E também agradeço a Tati, que me passou muita calma, com seu carinho e segurança durante todo esse processo do parto e todas as informações em apenas quatro encontros, e também a importância de cada um nesse processo maravilhoso, loco que é o parto.

Minha gratidão por ter vivenciado esse momento!!! E por todas as pessoas envolvidas e que fizeram parte desse processo maravilhoso que é a gestação e o parto!!

Gratidão a Deus que nunca me abandonou! E sempre me amparou desde o início da minha gestação até o parto!

Divulgação autorizada pela paciente Noelle Daros.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *